Eleições Americanas 2020: astrologia indica reviravoltas

Alguns movimentos astrológicos indicam que a corrida eleitoral está longe de ser tranquila
Eleições Americanas 2020: astrologia indica reviravoltas
por Astrolink em Trends
em 10/11/20 às 19h26

Antes de mais nada, é importante citar o óbvio: astrologia não tem nada a ver com clarividência e adivinhações precisas, apenas a constatação de que além de possuirmos livre arbítrio, também fazemos parte das mesmas leis que regem o universo.

Não existe a tal "previsão do futuro com precisão máxima que vai descobrir os números da mega sena". O que existe é o poder do indivíduo fazer suas próprias análises e escolhas, e que estas estão interligadas ao Todo.

O conceito básico dos trânsitos e previsões (projeções) astrológicas é informar sobre as tendências de um determinado período no espaço-tempo. Uma projeção não mostra exatamente o que vai acontecer, mas avisa sobre as movimentações e influências planetárias, fáceis ou difíceis, que estão ou estarão no caminho.

As eleições americanas têm impacto no mundo todo, então não parece prático ter opiniões do tipo: "isto é algo que está muito distante de nós e não muda em nada as nossas vidas". Em um mundo muito mais globalizado, mas com os Estados Unidos ainda sendo uma super potência, sua influência é deveras abrangente e querendo ou não, diz muito sobre como as coisas funcionam e seguirão seu caminho.

Devido a pandemia do novo corona vírus, o mundo passou por alterações em suas engrenagens que afetaram a rotina de praticamente todos os indivíduos e instituições. Isso acabou acarretando também algumas alterações no escopo das eleições e a possibilidade de votar pelo correio fez com que mais de 65 milhões de americanos escolhessem essa modalidade. Isso significou cerca de 40% de todas as pessoas que votaram.

E como a cérebre frase diz: "Deus não joga dados" e mais, pode até ser um brincalhão, aconteceu uma pequena pegadinha astrológica no período: a maioria dos votos por correspondência foram organizados, enviados e recebidos durante o período de Mercúrio retrógrado, que ocorreu entre 13 de outubro e 03 de novembro. Será que não tem nenhum astrólogo de plantão na Casa Branca para dar aquela dica infalível: "Hey, moçada, vocês querem mesmo organizar esse lance todo durante esse período?" (risos).

Parte importante do processo eleitoral aconteceu durante o Mercúrio Retrógrado

Quem estuda astrologia sabe que quando Mercúrio está em movimento retrógrado, há maiores chances de mal-entendidos, problemas, atrasos, panes, coisas que se perdem, extravios e confusões. Tudo fica em um estado meio vacilante e erros são cometidos mais facilmente, sugerindo a necessidade de se refazer ou corrigir as coisas em um outro momento mais favorável. Isso, por si só, pode indicar que algo nesse processo (ou na validação do seu resultado), apresente um fator de alerta!

Antes do dia das eleições, Mercúrio fez um aspecto tenso com Saturno

Pouco antes das eleições, no dia 1º de novembro, esse aspecto chamou atenção. O movimento sugere atritos entre figuras de autoridades, desencontro de informações e pode gerar grande pressão para que sejamos mais metódicos. Tensão foi a palavra chave e isso ficou bastante evidente para quem estava de olho no céu, reverberando para os próximos dias.

O que vem por aí de acordo com o mapa astral dos Estados Unidos

Sim, uma nação também tem mapa astral, e enquanto o Brasil é um país virginiano, os Estados Unidos é canceriano! E é um consenso: agora, nesse momento, mesmo depois da apuração inicial dos resultados, o país continua sob influência de aspectos importantes.

Nesse momento, o mapa astral dos EUA passa por configurações raras que indicam um período pouco fluido e funcional, como o Retorno de Plutão, que ocorre aproximadamente apenas a cada 248 anos, um trânsito raro e observado apenas quando analisamos eventos e países, pois os mapas pessoais não passam pelo retorno de Plutão devido a limitação do nosso tempo de vida.

Os trânsitos de Plutão são, em geral, difíceis de lidar e desencadeiam mudanças estruturais imensas, sejam em nossas vidas (com eventos menores, como a quadratura que ocorre entre os 30 e 40 anos), ou em contextos mais amplos como este. Tem a ver com traumas, morte, renascimento, dinheiro e economia. São momentos de escavação, de remexer nas profundezas e nos cantos mais escuros de forma potente e transformadora, até que todo o necessário tenha sido expurgado e a luz no fim do túnel encontrada. O momento sugere choques e tensões principalmente em assuntos relacionados a poder e controle, onde embates pelo poder são comuns de forma bastante evidente.

Aliás, é também um momento onde a nação poderá aprender o verdadeiro significado de poder, onde cada um desses astros envolvidos ensinará uma lição diferente a respeito de regras, responsabilidade, leis, transformação, renascimento, justiça e benevolência.

Por fim, vale pontuar que a constituição americana foi publicada em 17 de Setembro de 1787, durante uma conjunção de Saturno e Plutão em Aquário. Mais de 200 anos depois este encontro acontece novamente, no próximo dia 21 de Dezembro, inaugurando uma grande migração de planetas importantes para signos de ar.

Todos esses movimentos apontam para um grande período de mudanças que ocorrem em grandes ciclos, mas, a cada época, proporcionam resultados muito diferentes de acordo com o paradigma existente.

Curiosidades dos presidenciáveis

Tríade de Donald Trump:

Sol aos 22 graus de Gêmeos | Ascendente aos 29 graus de Leão | Lua aos 21 graus de Sagitário

Trânsitos relevantes de Donald Trump no período eleitoral:

+ Júpiter, Saturno e Plutão trígono ao Meio do Céu natal;
+ Retorno nodal na Casa 10, com o Nodo Norte também em conjunção com o Sol e Urano;
+ Júpiter e Saturno na Casa 5, ao final do ano rumando para a Casa 6 em Aquário;
- Júpiter em oposição a Saturno e Vênus;
- Netuno na Casa 7, em quadratura com seu stellium (Sol, Nodo Norte e Urano) em Gêmeos;
- Urano em quadratura com Plutão natal na casa 12.


Tríade de Joe Biden:

Sol aos 27 graus de Escorpião | Lua aos 00 graus de Touro | Ascedente aos 03 graus de Sagitário

Trânsitos relevantes de Joe Biden no período eleitoral:

+ Júpiter e Plutão sextil ao Sol;
+ Júpiter trígono ao Meio do Céu;
+ Saturno sextil a Mercúrio;
- Stellium em Capricórnio (Júpiter, Saturno e Plutão) em oposição a Júpiter;
- Nodo Norte em Gêmeos na Casa 7 quadratura com o Meio do Céu;
- Netuno em oposição ao Meio do Céu.

Datas para ficar de olho

10/11 (terça-feira): Mercúrio, que já deu o que falar com a retrogradação, retorna para Escorpião no dia 10/11. É importante ficarmos atentos às questões coletivas ligadas a perdas, reviravoltas e informações difíceis de serem digeridas, já que são temas tratados por este signo.

12/11 (quinta-feira): Júpiter, o grande benéfico, e Plutão, o planeta das grandes transformações, se encontram mais uma vez. Essa é a terceira vez que isso acontece em 2020: a primeira foi no início do ano, bem no início da divulgação da pandemia, que causou agitação e mudanças no mundo. A segunda, foi no dia 30 de junho, quando a União Europeia se preparava para a reabertura das fronteiras, mesmo com algumas restrições.

13/11 (sexta-feira): Marte volta ao movimento direto e as coisas tendem a se movimentar com maior fluidez e com passos firmes. Neste dia também, desde a madrugada, a Lua estará em conjunção com Vênus no signo de Libra e em trígono com o Nodo Norte, mas em quadratura com a potente conjunção de Júpiter e Plutão. Isso sugere muita tensão pelos dias seguintes, que podem ser agitados.

Fim de Novembro: O mês termina com um eclipse lunar em Gêmeos, que pede mais atenção e consciência em relação às notícias, aos meios de comunicação e propagação de informações, ativando um poder de investigação e de observação, possibilitando maior compreensão das coisas.

O que podemos concluir sobre o resto do ano de acordo com a astrologia:

Todas essas coisas colaboram para que os Estados Unidos passem por um grande momento de pressão, tensão e transformação, capaz de estremecer suas estruturas, com trânsitos muito próximos aos da época de sua revolução, no século XVIII. O resultado final acontecerá apenas no dia 14/12, quando os colégios eleitorais oficializam sua decisão. Após isso, apenas no dia 20/01/2021 ao meio dia, o novo presidente começa a exercer o seu mandato.

Uma coisa é certa: 2020 foi uma montanha russa de emoções e parece que ainda tem algumas cartas na manga para nos mostrar nesses últimos dois meses, onde cada dia parecerá 1 semana!

Confira mais informações completas para novembro clicando aqui.

Leia mais artigos do Astrolink ver todos

O Céu de Novembro 2020: Eclipse lunar e fim de retrogradaçõesO Céu de Novembro 2020: Eclipse lunar e fim de retrogradações
Fim de Mercúrio e Marte retrógrados e eclipse lunar em Gêmeos. Novembro promete! Confira as previsões astrológicas para o mês!


O céu no momento...

Segunda-feira, 23 de Novembro de 2020 | 12h52
Sol 01° 49' Sag
Lua
Quarto Crescente
18° 20' Pei
ver ciclo lunar
Mercúrio 17° 21' Esc
Vênus 02° 36' Esc
Marte 15° 50' Ari
Júpiter 24° 44' Cap
Saturno 27° 46' Cap
Urano 07° 46' Tou R
Netuno 18° 10' Pei R
Plutão 23° 05' Cap
Quiron 05° 09' Ari R
Lilith 03° 42' Tou
Nodo Norte 20° 06' Gem R
Aspectos ativosorbe
SolSextilJúpiter7.07
SolSextilSaturno4.05
LuaTrígonoMercúrio0.99
LuaSextilJúpiter6.40
LuaConjunçãoNetuno0.18
LuaSextilPlutão4.74
LuaQuadraturaNodo Norte1.76
MercúrioTrígonoNetuno0.82
JúpiterConjunçãoPlutão1.66
NetunoQuadraturaNodo Norte1.94
Ler mais

Signos no Astrolink

Piscianos    9.05 %
Arianos    8.85 %
Cancerianos    8.78 %
Geminianos    8.68 %
Taurinos    8.62 %
Aquarianos    8.27 %
Virginianos    8.19 %
Leoninos    8.15 %
Escorpianos    8.02 %
Librianos    7.89 %
Capricornianos    7.89 %
Sagitarianos    7.60 %