1. Astrolink
  2. Tarot

Tarot

O oráculo do nosso inconsciente
Tarot

O Tarot é geralmente associado às cartomantes, às coisas esotéricas, mágicas, ancestrais ou a algo muito distante da racionalidade e da ciência tradicional.

O fato é que todo o seu simbolismo está mais próximo do nosso cotidiano do que imaginamos. Muitas personalidades importantes perceberam este fato em diferentes épocas, assimilando e repassando todo o conhecimento que este oráculo pode proporcionar.

Carl Gustav Jung, famoso psicoterapeuta que fundou a psicologia analítica foi uma dessas pessoas. Jung estudou muitos conceitos e cunhou muitos termos que hoje são amplamente conhecidos, como extroversão, introversão, arquétipos, inconsciente, sombra, complexo, sincronicidade entre outros. Ele descreve os símbolos do Tarot como arquétipos do inconsciente coletivo, ou seja, tudo que habita a parte mais profunda do nosso ser.

Devemos encarar o Tarot como uma ferramenta para desvendar o nosso inconsciente, o que nos permite analisar e interagir com o nosso rico mundo interior. Nas cartas, podemos projetar nossos sentimentos e pensamentos, entendendo melhor o que nos cerca e o nosso papel no momento. O Tarot nos convida a aprendermos mais sobre nós mesmos e vivermos em alinhamento com as poderosas forças do universo.

Arcanos Maiores

Arcanos Maiores (22) Mais detalhes

Os Arcanos Maiores representam basicamente a jornada de evolução do Homem sendo contada através de símbolos ancestrais. Os significados de tais cartas ilustram a estrutura da consciência humana, contendo lições de vida profundamente significativas passadas de geração a geração.

Ver todos os Arcanos Maiores
Arcanos Menores

Arcanos Menores (56) Mais detalhes

Enquanto os Arcanos Maiores representam as diretrizes superiores - as providências divinas que dificilmente podemos escapar, os Arcanos Menores agem dentro do campo do nosso livre arbítrio, das nossas escolhas e atitudes, assim como o papel e a influência de outras pessoas em relação à nossa vida.

O que é o Tarot?

O Tarot é um guia, um espelho que reflete todo o espectro da experiência humana através de arquétipos. Por ter sido utilizado ao longo dos séculos basicamente como instrumento de advinhação (onde seus significados para este fim são derivados da Cabala, a vertente mística do judaísmo e também da alquimia medieval), aos poucos foi perdendo suas características originais.

Para resgatarmos todo o seu simbolismo e entender seu potencial, devemos voltar no tempo em busca de várias de nossas heranças culturais mais importantes, quando o Tarot era tido como fonte de sabedoria e compreensão do coração e da mente e não apenas como uma bola de cristal.

Sim, o Tarot é algo ancestral baseado em outros sistemas divinatórios. Muitas pessoas acham que sua total criação é única e data da Idade Média, mas suas referências são muito mais antigas, incluindo valores egípcios e da Grécia antiga. Quanto aos egípcios, em vez de cartas, utilizavam amuletos, fichas e tabuleiros como sistemas divinatórios.

Por ser um sistema de significado oculto e orientação esotérica, o Tarot foi limitado a manter-se escondido e marginalizado na Europa medieval. Disfarçar o Tarot como um jogo era uma forma de permitir que os praticantes continuassem seu uso sem serem perseguidos pela igreja. O nosso baralho tradicional, que usamos em nossos jogos e momentos de diversão, na verdade é uma derivação mais simples do Tarot. Genial, não? Quem poderia imaginar na época que um simples deck de cartas era na verdade um oráculo que reunia toda a jornada de experiência humana...

Em dado momento, o Tarot já foi chamado de "Livro de fotos do diabo" pela igreja católica, onde muitos hereges que o utilizavam foram mortos durante a inquisição. É por isso que muitos registros de sua história são cronologicamente irregulares. Historicamente, o Tarot parece ressurgir em registros apenas em determinadas épocas. Os que o conheciam, sempre o utilizavam, mas, apenas secretamente e quando realmente precisavam.

É perfeitamente entendível que pessoas que nunca tiveram contato o Tarot pensem coisas como: "Mas são apenas cartas e imagens! Como isso pode dizer algo sobre a minha vida?" ou ainda de forma mais direta: "não acredito em nada dessas bobagens!".

Saiba que não há problema algum com estas ou outras opiniões similares. Mas, assim como acontece com a astrologia, é muito importante dar o seu veredicto final em relação ao assunto apenas após transpassar o véu das opiniões rasas e se aprofundar um pouco mais no assunto.

Sendo assim, esta área é um convite à reflexão e à experimentação dessa rica ferramenta de autoconhecimento.

O uso do Tarot como um Oráculo

Os oráculos foram os primeiros elos entre os seres humanos e as divindades. O Tarot é um dos artefatos que faz esse papel, de nos aproximar desse algo superior, transcendente, oculto. Seu estudo representa uma viagem de descoberta interior, onde passamos a nos conhecer melhor para agirmos de acordo com a nossa verdadeira essência.

É uma ferramenta que contém símbolos que guardam em seus fundamentos os segredos do Universo, nos dando a oportunidade de desvendá-los para obter respostas diversas.

O Tarot não é determinista nem influencia o rumo dos acontecimentos, apenas indica as circunstâncias presentes no momento e as energias envolvidas no seu desenvolvimento, ou seja, aquelas com maior potencial de acontecer.

Saiba que o Tarot é algo naturalmente relacionado à astrologia, onde há uma correspondência alquímica, um signo astrológico e um número para cada arquétipo. As 78 cartas podem ser consideradas uma jornada, que ajuda a abrir portas que melhoram nossa compreensão do passado e do presente fazendo com que assim consigamos aguçar nossa percepção do futuro. É uma ferramenta que nos inspira a perceber melhor o que podemos realizar e qual nosso papel como protagonistas de nossas vidas.

Os Arcanos do Tarot

A palavra "Arcano" significa basicamente "segredo, oculto, mistério". Neles, se encontram os mistérios da natureza humana, as respostas a todas as nossas questões da Humanidade.

No Tarot, existem dois grupos de cartas: os Arcanos Menores, que somam 56 cartas (14 de cada naipe) e os Arcanos Maiores, que somam 22 cartas. O baralho completo possui então 78 cartas distintas.

É muito importante levar em consideração em uma consulta de Tarot tanto os Arcanos Maiores como os Arcanos Menores, pois dessa forma conseguimos saber todos os potenciais envolvidos na situação questionada.

Desde a espontaneidade da carta O Louco até a maturidade da carta O Mundo, o Tarot se comunica através de uma linguagem simbólica em um baralho composto por 78 cartas, onde 22 são chamadas de Arcanos Maiores e as outras 56 de Arcanos Menores, estas, com quatro naipes distintos: Ouros, Espadas, Copas e Paus.

Aprofundando-se nas informações...

Os símbolos utilizados no Tarot estão profundamente enraizados na história e na mitologia. São modelos herdados dos nossos ancestrais, que influenciam a forma como interpretamos as coisas. O Tarot nos permite colocá-los juntos em várias configurações para contar e interpretar diversas histórias. Assim, podemos traçar paralelos entre os significados das cartas e nossas próprias experiências.

A história que contamos sobre nós mesmos e a visão que temos da nossa própria existência influencia muito a maneira como pensamos sobre nosso futuro. As cartas do Tarot nos ajudam a contar essa história, revelando pontualmente facetas que às vezes não percebemos sobre um questionamento ou sobre o momento atual de nossas vidas. Quando estudamos cada Arcano, podemos analisar nossas atitudes, nosso jeito de ser ou como estamos nos posicionando em relação a algo.

Uma maneira interessante de entender o Tarot é encará-lo como uma ferramenta para desvendar o nosso inconsciente e expressar externamente o que se passa em nosso interior. Nas cartas, podemos projetar nossos sentimentos e pensamentos, entendendo melhor o que nos cerca e o nosso papel no atual momento. O Tarot nos convida a aprendermos mais sobre nós mesmos e escrevermos nossas histórias em alinhamento com as invisíveis e poderosas forças do universo.

Como consultar corretamente o Tarot?

O ideal é que as consultas sejam feitas sempre em um local tranquilo, limpo e agradável, de preferência sem interferências externas ou sem ser interrompido por nada. Sempre desligue aparelhos desnecessários assim como quaisquer objetos que façam muito barulho - principalmente dissonantes.

Se for usar um baralho físico, é sempre bom guardá-lo embrulhado em um pano branco limpo ou dentro de uma caixa só sua, em um lugar que so você pode mexer. Para consultas virtuais, siga as mesmas indicações e tente não desviar sua atenção a outros estímulos. Concentre-se apenas no que está se propondo a fazer.

Mentalize uma questão importante da sua vida por alguns instantes. Pode ser uma pergunta específica, uma dica de como se portar em uma situação ou apenas um direcionamento para o seu momento atual. Direcione toda a sua intenção, solicitando uma resposta apropriada. Faça isso pelo tempo que achar adequado. Em seguida, prossiga com a sua consulta para ver uma carta ressonante com a sua mentalização.

A mensagem contida na carta - ou nas cartas retiradas é para você - e você apenas. É a resposta mais indicada para o seu momento atual ou a situação mentalizada. Uma nova consulta, principalmente sobre o mesmo assunto, não deve ser repetida até que tenha havido reflexão e entendimento do que lhe foi transmitido.

O Tarot é uma ferramenta subjetiva que deve ser utilizada com tranquilidade, consciência, responsabilidade e apenas em momentos onde você sinta que deve fazer uma conexão pessoal com as poderosas forças que regem a causalidade do universo. Tal ação poderá trazer revelações que poderão ou não influenciar a linha do tempo de sua vida, portanto reflita à respeito do que lhe foi transmitido de forma intuitiva e ao mesmo tempo consciente.

Antes de começar a consulta, concentre-se, medite e peça proteção e inspiração aos seus guias espirituais. Após isso, faça a pergunta que você deseja encontrar respostas. Você pode perguntar em voz alta ou fazê-la mentalmente, se concentrando totalmente na questão. O mais importante é que a sua pergunta ou mentalização seja bem clara, direta e objetiva.

Após seu momento de concentração, quando sentir que a hora chegou, obtenha a sua revelação.