astrolink-galaxy

Veja seu Mapa Astral Grátis!

Já tem cadastro? 

Os Aspectos Planetários na Astrologia

Trígono, conjunção, quadratura, oposição...

Por Astrolink em Astrologia básica

Modo claro

32 minutos de leitura

Os aspectos planetários, à princípio, podem parecer um pouco complicados de serem entendidos. No entanto, se você reservar um tempinho para analisá-los corretamente, vai descobrir que eles fazem bastante sentido lógico, matemático e interpretativo dentro da astrologia.

Tentaremos explicá-los de uma forma que faça sentido para você, para que a interpretação dos vários sinais simultâneos do seu mapa astral ou dos trânsitos astrológicos se torne ainda mais clara e observável.

Um aspecto astrológico é a priori, a distância ou angulação específicas entre quaisquer dois pontos, por longitude ou declinação no sistema eclíptico de referências astronômicas que é a base do Zodíaco.

Geralmente os aspectos são formados entre dois astros, embora aspectos entre qualquer astro e as casas angulares (ascendente, descendente, meio do céu e fundo do céu) também sejam considerados.

No estudo da astrologia, aspectos mostram basicamente como os vários astros interagem uns com os outros, com base no local onde estão em um determinado momento de sua órbita a partir da observação da terra.

A maioria dos astros pode formar aspectos uns com os outros, com exceção de Mercúrio, que nunca está mais do que 28 graus do Sol, e de Vênus, que não se afasta mais do que 48 graus do Sol, por isso sua interação fica um pouco mais limitada.

Aspectos são usados ​​para que possamos definir como os astros se combinam, de forma a estimular ou moderar a influência de cada um no mapa astral de uma pessoa.

São divididos em duas categorias: maiores ou menores e também harmoniosos ou tensos. Geralmente, os aspectos maiores são muito mais poderosos do que os menores, mas alguns astrólogos dão alguma ênfase também nos aspectos menores.

De uma forma geral, os aspectos mais observados historicamente são nove, sendo quatro aspectos maiores e principais: oposição, trígono, quadratura e sextil - e cinco aspectos menores: quíntil, semisextil, semiquadratura, sesquiquadratura e quincúncio (também conhecido como inconjunção).

A conjunção, é considerada uma interferência direta e é a mais significativa de todas as interferências.

Também se utilizam os paralelos (aspectos por declinação) que não são aspectos que ocorrem pelas distâncias em longitude eclíptica, como os outros. Eles se dão por paralelos de declinação no Sistema Equatorial de Referências.

Como se pode ver, a astrologia é bem fundamentada em astronomia esférica.

É importante citar que, não devemos rotular os aspectos como "bons" ou "ruins" pura e simplesmente. Eles devem ser encarados como desafios ou facilidades, atrito ou fluência. De fato, alguns podem ser fáceis de lidar e alguns podem ser mais desafiadores, embora tragam dinamismo e aprendizado.

Assim, aspectos alteram a intensidade, a ostensividade ou a sutileza da interferência e não sua natureza em si.

Na verdade, o resultado final de um aspecto dependerá da forma como encaramos sua correspondência. Sendo assim, cada tipo de aspecto tem dois lados: os aspectos tensos trazem desafios, mas que podem resultar em um grande feito, enquanto os aspectos harmoniosos trazem condições fáceis, mas que podem levar a oportunidades desperdiçadas ou inércia.

Desta forma, os aspectos podem exigir maior ou menor esforço para se administrar e assim como uma onda de 5 metros de altura que exige mais destreza do surfista, os aspectos ostensivos podem gerar maior "grip" e portanto proporcionar maiores desafios e progressos.

Ter aspectos consonantes e dissonantes é absolutamente natural. Indivíduos que possuem apenas aspectos harmoniosos podem ter muito potencial, mas sem as tensões, contradições e adversidades, podem não desenvolver resistência, capacidade de superação e expertise diante das dificuldades. A Experiência prática mostra isto.

Já aqueles com apenas aspectos tensos podem desenvolver, por outro lado, uma irritabilidade constante. A presença das adversidades, caos e instabilidades frequentes podem desenvolver um temperamento sempre reativo e de enfrentamento, pelos condicionamentos ou por se sentires constantemente em luta com as adversidades. Pode, portanto não haver muito relaxamento.

Aspectos Harmoniosos

Os aspectos harmoniosos trazem um relacionamento mais fácil entre os astros e ângulos e fornecem um ambiente propício ao desenvolvimento das habilidades naturais do indivíduo. Também são conhecidos como fáceis, positivos, amenos ou benéficos, pois em tais aspectos, a troca de interferências entre os dois astros envolvidos é bastante fluida.

Os astros envolvidos se dão super bem e suas características estão prontas para tornar o caminho e as situações mais tranquilas e naturais. A prática milenar mostra que os envolvidos parecem se dispor de forma não ostensiva, como músicos de Jazz, que se ouvem uns aos outros e procuram interagir com as caraterísticas mútuas.

Porém, ao mesmo tempo, se mal geridas, tais influências podem se transformar em acomodações.

Um aspecto harmonioso pode mostrar, por exemplo, autonomia - viver e deixar viver. Desta forma, a pessoa pode se tornar menos dependente emocionalmente, evitando desgastes e preferindo estar consigo mesma do que estar trocando com pessoas que geram tensão e desgaste emocional (em especial nos aspectos com Vênus, Lua e Sol).

Estes aspectos geralmente trazem mais liberdade de ação e atraem oportunidades, sendo muito importante saber aproveitá-las para se gerar valor a si mesmo e às demais pessoas.

Aspectos Tensos

Os aspectos tensos causam atritos entre os temas dos astros e ângulos envolvidos. Tais atritos podem se traduzir em bloqueios, dificuldades, problemas e desarmonias diversas, que podem ser sentidas à nível psicológico ou circunstancial - ou uma combinação dos dois. Ao lidar com esses problemas, muitas pessoas podem falhar ou estagnar, mas algumas serão levadas a superar as suas dificuldades e, nesse processo, desenvolverão melhor o seu potencial de vida.

São conhecidos também como aspectos ruins, difíceis, negativos, rígidos ou maléficos e são sempre uma oportunidade de crescimento e sucesso através de desafios.

Não devemos nos preocupar excessivamente em possuir aspectos tensos em nosso mapa astral ou estar passando por esse tipo de fase no horóscopo (trânsitos diários). Eles não querem dizer que teremos uma vida ruim ou uma personalidade complicada necessariamente. A forma como se gere isto em termos existenciais pode ser determinante neste sentido.

Claro que devemos prestar atenção mais de perto para não sofrermos continuamente com influências mais difíceis e sabermos onde estamos pisando, mas em última análise, temos que lembrar que os mesmos astros que formam um aspecto tenso também poderão formar os mais fluidos.

Aprender a aceitar e lidar com algumas influências pode trazer resultados muito positivos, nos fazendo superar obstáculos com sabedoria.

Aspectos maiores

Os aspectos maiores foram definidos por Cláudio Ptolomeu no século II de nossa Era, cientista, astrônomo, geômetra e filósofo que viveu em Alexandria e contribuiu com várias áreas do conhecimento, incluindo Astronomia e Astrologia. Note os graus que separam os astros e determinam um aspecto ou interferência direta::

Conjunções (0º, ou seja, não há separação, existe uma interferência direta);

Oposições (180º); Trígonos (120º); Quadraturas (90º) e Sextils (60º).

O termo maior vem de "major", que significa, principal, relevante, significativo, marcante, que se destaca (Major, no militarismo, é um líder, aquele que exerce maior influência / assim como a palavra Mayor em inglês, derivada do latim, que significa prefeito, sendo etimologicamente comparada a Magnus, o "maior", "superior").

Quer saber como essas informações podem afetar sua vida?

Neutros / Variáveis:

ConjunçãoCONJUNÇÃO: é a interferência mais poderosa e combina as características de dois astros em uma única força, quando os planetas envolvidos estão em total alinhamento um com o outro - ou próximos a 0 graus de separação.

As características de um astro se unem e complementam a do outro, fazendo com que eles não consigam ser estudados separadamente, sendo seus efeitos o produto de uma fusão mais ou menos ostensiva. Se engana quem pensa que conjunções geram apenas eventos e características tranquilas. Suas influências também podem ser desafiadoras e planetas em conjunção podem atrair situações fáceis ou complicadas dependendo da qualidade dos astros envolvidos.

As conjunções entre astros em trânsito e os astros do nosso mapa astral trazem mudanças e novidades para as nossas vidas. Em muitas ocasiões, nos sentiremos como os agentes dessas mudanças, tanto pessoais quanto circunstanciais.

É como se um novo ciclo se iniciasse e podem iniciar novos ciclos encerrando anteriores, mas, podem também escalonar o ciclo anterior, aprofundando as questões já em desenvolvimento.

O astro que está em trânsito acaba, segundo as observações, ativando os astros do nosso mapa natal, os evidenciando mais em alguns períodos do que em outros, abrindo portas para desejos, atitudes e ações que não tínhamos antes, ou que eram mais travadas.

Por exemplo, quando Urano está transitando próximo ao nosso Vênus natal, tendemos a nos arriscar mais em nossas relações amorosas ou em nossos gastos, às vezes de maneira repentina e surpreendente. As características dos dois astros não podem ser tratadas de maneira individual, na verdade elas se misturam e passam automaticamente e momentaneamente combinarem-se, indo de Urano em trânsito para Vênus no mapa natal, por exemplo.

Uma conjunção pode chamar atenção, pois ela é a mais intensa e significativa interferência. Assim, os astros envolvidos podem assumir um protagonismo interpretativo.

Se não soubermos administrar tais características, elas podem dificultar outros aspectos e potenciais a serem desenvolvidos no mapa natal. Assim, precisamos compreender quais influências estão em jogo e entender que teremos que lidar com elas de forma significativa.

A verdade é que nas conjunções, tudo é mais intenso. Os astros envolvidos nos temas natais têm as caraterísticas amplificadas, o que reflete em nosso interior.

No horóscopo, o astro em trânsito ao formar uma conjunção com algum astro natal, vai influenciar alterações significativas ao momento. Com o planeta natal impactado, novas situações vão surgir de diversas maneiras, podendo em alguns casos, iniciar ciclos e em outros, encerrar alguma questão.

Por exemplo, quando Vênus em trânsito entra em conjunção com Mercúrio natal, o nativo pode desenvolver uma habilidade de se comunicar de maneira mais clara e com mais charme, usando as palavras certas e sendo menos impulsivo. Portanto, o trânsito de conjunção indica um momento propício para mudanças que ocorrem à revelia muitas vezes.

Muitas pessoas podem perceber que algo está diferente, surpreendendo-se com as suas próprias ações e alterações da forma de pensar subitamente e quando analisam melhor o fato, encontram uma conjunção ocorrendo com algum planeta natal.


Harmoniosos:

TrígonoTRÍGONO: é o mais relevante aspecto harmonioso, onde os planetas estão a 120 graus de separação e agem juntos em uma interação fluida, geralmente em signos do mesmo elemento. Por conta disso, é considerado o aspecto mais favorável e fácil de lidar.

Representa as situações fluindo com facilidade entre os astros envolvidos, trazendo e sugerindo situações consideradas de sorte, oportunidades, talentos inatos, criatividade ou outra coisa considerada fluida. Os astros trabalham fazendo uma boa troca, enriquecendo-se um ao outro em boa comunicação.

Pense em duas pessoas se relacionando de forma alegre e amigável, onde há mais concordância e pouca resistência nos tópicos debatidos. Embora cada astro ou ângulo conserve suas características, tais características contribuem entre si e se completam.

Trígonos são aspectos muito favoráveis para se ter no mapa astral pois trazem auxílio para nossas vidas, geralmente significando habilidades bem desenvolvidas e pontos fortes. Muitas pessoas não notam porque são tão talentosas em algo, ou porque algumas coisas acontecem mais facilmente em suas vidas, pois parece ser algo bastante natural e que ocorre desde sempre, como "dons". Por isso, não há parâmetro para saber como é não possuí-los, pois parecem que sempre estiveram presentes.

Porém, ter muitos trígonos no mapa pode fazer com que a pessoa fique preguiçosa em determinadas situações, já que a vida parece mais fácil, ou seja, em alguns casos, as facilidades podem ser tantas que se transformam em acomodação em algumas áreas.

Aceitar passivamente que a correnteza nos leve, em alguns casos, pode significar estagnação, perda de oportunidades e incapacidade de atingir nosso potencial máximo. Falhamos em crescer por conta de nossa negligência ou desinteresse.

Trígonos também podem suavizar influências mais difíceis advindas de aspectos mais tensos como oposições, quadraturas e algumas conjunções. Ou seja, em alguns casos, as facilidades podem ser tantas que se transformam em acomodação. Aceitar passivamente que a correnteza nos leve, em alguns casos, pode significar estagnação, perda de oportunidades e incapacidade de atingir nosso potencial máximo. Falhamos em crescer por conta de nossa negligência ou desinteresse.

Não é segredo que as coisas que conquistamos com dificuldade têm um sabor todo especial, pois o senso de realização é maior do que quando as coisas caem em nosso colo. Assim, devemos sempre reconhecer, agradecer e aproveitar chances, talentos, sorte e outras facilidades trazidas por determinadas energias mais fluidas, ou corremos o risco de aceitar passivamente a inércia.

É essencial fazer esse trabalho mental constantemente para não abrir portas para apatia ou displicência, principalmente se o mapa astral contar com muitos aspectos harmônicos e poucos aspectos tensos.

Pode haver baixa tolerância à frustração em alguns casos. No horóscopo, algumas pessoas podem se acomodar e ver se desenrolar um período em que a sorte resolve tudo, ou ainda, ver surgir soluções mais fáceis para problemas.

Há de se ter cuidado apenas para que não sejam coisas sem solidez. Sem dúvida, quando um astro em trânsito forma um aspecto trígono com um astro natal, pode gerar um período em que os obstáculos, se houverem, serão removidos mais facilmente, dando a falsa ideia de que tudo sempre vai conspirar à favor. Sendo assim, há de se aproveitar e agradecer, mas também vigiar e ter a noção de que tudo acontece em ritmos. A influência poderá agir a seu favor, mas mesmo assim você deve se empenhar e agradecer o impulso.

SextilSEXTIL: é um aspecto fluido, embora considerado um pouco menos potente do que o trígono de acordo com muitos astrólogos. É onde os astros estão a 60 graus um do outro e sua interação é considerada bastante favorável, como se os astros se gostassem, tivessem certa afinidade um do outro.

A tendência para a harmonia depende logicamente dos planetas envolvidos. Normalmente, os signos onde ocorrem o sextil partilham características afins, estando na maioria das vezes em signos com as mesmas qualidades primárias, quente ou frio, mas não necessariamente úmido ou seco. Pelo fato de apenas uma das qualidades primárias se repetir e não os dois, como em um trígono, ele não é tão consonante.

No mapa astral, também pode indicar talentos além de um fluxo fácil de oportunidades ou ideias que, se adotadas, ajudam na realização de objetivos. No entanto, mesmo sendo um aspecto fluido, ele exige algum esforço complementar.

Indica basicamente que não há atrito entre os astros envolvidos, que podem ser trabalhados de forma harmoniosa para somar, inspirar e ajudar. Na verdade, o principal motivo pelo qual é considerado positivo é que não causará problemas, não atrapalhará em nada, embora seja uma influência que pode passar despercebida se não houver empenho em aproveitá-la.

Um ponto importante é que os sextils não trazem um risco tão grande à acomodação quanto os trígonos. Com os sextils, precisamos dar aquela forcinha extra para revelar o que nos motiva, no que somos bons e como podemos externalizar e concretizar os nossos desejos. Suas características se estimulam, sintonizando as energias de cada astro ou ângulo envolvido no aspecto.

Perceber as influências pode ser ainda mais difícil do que nos trígonos, mas elas carregam bastante potencial de realização. Enquanto alguns trígonos trazem influências mais automáticas e naturais, nos sextils precisamos nos esforçar mais para adequar a fluidez à nosso favor. Por exemplo, podemos ser melhores do que muitas pessoas em alguma coisa, mas para sermos realmente bons, na prática, devemos nos empenhar, treinar, estudar, etc. Os sextils sinalizam oportunidades, mas temos que fazer por onde, pois muito dependerá da nossa exploração e empenho para que as coisas se concretizem.

Quando não conseguimos compreender os potenciais de um aspecto sextil, corremos o risco de não descobrir e não desenvolver alguns dos nossos potenciais, como se faltasse estímulo e entusiasmo para perseguir nossas aspirações. Assim, podemos ficar presos em empregos chatos, ficar sem descobrir novos caminhos, carreiras, hobbies e talentos, ou até mesmo ficar presos a conceitos e ideias que não se renovam nunca, mas que até poderiam.

No horóscopo, geralmente quando ocorrem entre planetas de elemento água e terra, é interessante observar que as chances de crescimento podem se dar através da reflexão da paciência, com cargas de análise e internalização (princípio frio em comum) e quando ocorrem entre signos de fogo e Ar, podem estar relacionados com a extroversão e a manifestação ostensiva do desejo (princípios quente em comum).

Mesmo que todos os caminhos estejam abertos, haverá a necessidade de se investir na ocasião para que a sorte não vá embora, sem que nada de proveitoso tenha sido realizado. Em geral, sextís promovem conexão e interação entre os astros ou ângulos envolvidos.

O momento da ocorrência de um aspecto sextil também é favorável para colocar em prática projetos que estavam engavetados ou para fazer as alterações necessárias em qualquer área da vida. Além disso, os relacionamentos interpessoais tendem a fluir com mais facilidade.


Tensos:

OposiçãoOPOSIÇÃO: é um aspecto que coloca os astros ou ângulos em conflito de interesse um com o outro, com 180 graus de separação em termos de longitude no sistema eclíptico e em polos muito provavelmente em signos opostos.

Uma oposição produz dificuldades e cria tensão entre os temas dos dois planetas envolvidos, gerando normalmente resultados desafiadores que, se bem aproveitados, podem até mesmo ser agregadores.

As oposições criam tensões envolvidas nos astros em questão. Estas tensões tendem à caoticidade e assim, se torna mais difícil predizer, encaminhar, controlar os efeitos entre as naturezas dos astros envolvidos. Se tivermos por exemplo, Marte em oposição à Lua, corpo e emoção atuam de forma ostensiva. Assim, os instintos corporais afetam o humor de forma descontrolada (sono, fome, dor). Nestes casos o mau humor pode ir e vir, se tornando instável. Da mesma forma, as instabilidades emocionais, as tristezas ou alegrias podem ser manifestas com irritabilidade, inconformismo ou euforia e teatralidade e intensidade passional.

Não existe como equilibrar o é caótico. A natureza da caoticidade se suporta e portanto é apenas uma forma de expressão. No exemplo anterior, o que se pode fazer é praticar mais esportes, encontrar meios de dissipar a vitalidade corporal lavando o quintal por exemplo, dançando, alimentando-se de forma menos ácida e mais alcalina, respirando e soltando o ar com mais calma, saindo das situações de descontrole e até mesmo usando esta expressão intensa e descontrolada para representar, cantar e lutar pelo que acredita, utilizando o excesso, o descontrole, a raiva necessária para se conseguir atingir objetivos.

Se usado no momento certo, o "perder a paciência" literalmente é o que pode resolver as coisas.

Uma pessoa com muitas oposições no mapa astral tende a ser bastante estressada. Não se consegue estar o tempo todo neste estado de tensão sem que atinjamos o limiar da suportabilidade. Assim, estamos sempre a testar os limites de nossa capacidade de administrar os assuntos envolvidos nos astros ou ângulos que estão envolvidos com a oposição. Estes estresses podem se apresentar como comportamento, como doenças físicas ou mesmo se refletindo em experiências sociais variadas. Existe sempre uma pressão envolvida.

De fato, oposições são um pouco mais difíceis de serem compreendidas e exigem mais dedicação, comprometimento, criatividade e maturidade para se lidar com os impasses e contradições internas. Muitas vezes, temos de abrir mão do controle e do equilíbrio para viver os processos e fazer andar os projetos que tanto desejamos. Desta forma, superar as adversidades e também aceitar os fracassos e os embates, abdicando das tentativas de manipulação, criarão novas formas de interagir com o mundo.

Para se interpretar corretamente uma oposição no mapa astral, é importante levar em consideração quais são as configurações envolvidas. Depois, entender a polaridade dos signos que estão diametralmente opostos para saber as possibilidades do modo de cooperação ou de tensão entre os interesses de ambos.

Uma oposição pode nos inclinar a fazer escolhas complicadas, onde nossos conflitos internos podem emergir e confrontar-se com o mundo exterior. Assim, os sentimentos de insegurança poderão aumentar, a autoestima pode cair por conta dos desafios gerados pela tensão das posições envolvidas.

Administrar elementos ou situações heterogêneas e contrastantes requer uma certa habilidade. Em muitas situações, temos de chegar ao limite para que as coisas ganhem características adequadas. A zona de conforto pode funcionar, mas não será suficiente.

Notemos um atleta olímpico. Ele precisa chegar perto do limite de sua suportabilidade e agilidade física para estar preparado para ganhar uma medalha. Se não chega perto desta condição, ele é desclassificado nas prévias. Se ele passa do limite, pode ter uma lesão durante ou em uma etapa antes da prova final. Não há como controlar isto, apenas podemos administrar.

Da mesma forma, uma pizza assada, mas não no ponto, pode não queimar completamente e portanto não estragar. Mas se deixarmos passar, ela queimará. Se você deixar uma corda de violão frouxa, ela não tocará. Se apertá-la demais, ela romperá. Lidar com o limiar é o desafio nas oposições.

A arte está em flertar com o limiar da tensão e estarmos preparados para grandes sucessos e fracassos, ambos naturais. Tais condições podem implicar em constantes expectativas emocionais sob as quais somos expostos nas áreas envolvidas pelos astros ou ângulos. Isto requer maior esforço psíquico, físico e existencial.

Outra possibilidade é surgir uma dinâmica de intensidade de forma singular entre as naturezas envolvidas. Existe sempre repulsão e atração ao mesmo tempo, ou seja, motivação, desejo, fascínio e ao mesmo tempo temor, repulsa e negação.

O que ocorre é que as oposições, por conta de sua caoticidade, são transformadoras, criadoras e por isto fascinantes e atraentes. Por outro lado, o modo de economia do corpo, a preservação da vida em nós acaba por não se sentir confortável com esforços necessários.

Sempre temos de correr um certo risco ou lidar com tensões para se lidar com estas posições, pois há temores e gastos de energia física extras que não são bem vistas por nosso sistema nervoso, pois isto significa para ele envelhecer, ou seja, morrer mais rapidamente.

Compreender as características de cada oposição, seja em trânsito ou no mapa, e como ela está nos influenciando, é o primeiro passo.

Pela tensão gerada pelas características envolvidas, pode haver tensionamento e desafios constantes. Usar a consciência para entender a dinâmica e administrá-la se torna importante para aliviar-se em termos de sistema nervoso, bem como economizar-se energia física.

Reprimir seus efeitos geralmente causa frustração: se faz necessário achar uma válvula de escape para quaisquer tensões descobertas, mas devemos ter cuidado para não nos expressarmos de forma exagerada.

Podemos, se desejarmos, aprendermos tanto quando se possa, já que tal posição é caótica e portanto não perfeitamente controlada, encontrarmos apenas válvulas de escape desta pressão. Por outro lado, podemos reter a tensão e soltá-la em determinadas situações que se possa ser conveniente.

O grande boxeador americano Mike Tyson, treinava acumulando a energia, tensão, e força física e psíquica, concentrando-se ao máximo. Quando a luta começava, Tyson liberava completamente sua pressão e conseguia vitórias muito rápidas, explorando este seu potencial de explosão.

Da mesma forma, um corredor de 100 metros rasos, acumula grande carga de tensão nos músculos e os libera totalmente no momento da prova. Sem isto, ele não atinge objetivos.

Entretanto, se mal administrado, podemos dissipar tais tensões no meio externo, prejudicando o ambiente relacional em torno de nós.

As oposições entre planetas em trânsito e os planetas do nosso mapa astral geralmente trazem uma influência externa súbita. É como se algum acontecimento, alguma pessoa ou evento em especial nos forçasse a agir à respeito de alguma questão, que muitas vezes nos tira da zona de conforto.

Quando acontece, somos compelidos à agir. Muitas vezes somos obrigados a dar respostas, devolver a bola para o outro lado, como se diz. Por conta do evento súbito, temos de ser criativos e improvisarmos, o que implica em esforços maiores.

Pode ser uma mudança que devemos fazer, uma decisão que precisamos tomar ou uma situação inesperada que nos demande tomar alguma atitude ou responsabilidade.

Durante trânsitos de oposição, devido ao desconforto, podemos tentar compensar isto buscando prazer e bem estar rápidos como formas de alívio às tensões. Se sentirmos uma certa compulsão para consumo ou mecanismos de fuga da sensação de mal estar, isto poderá estar relacionado à algum oposição ou aspectos tensos nestes dias.

Podem evidenciar algumas questões na vida que, inevitavelmente, solicitarão um posicionamento do nativo, pois os fatos vão acontecer de maneira inesperada, cobrando das pessoas uma definição. Pode trazer alterações não planejadas que foram provocadas por alguém, por exemplo.

São dinâmicas de tensionamento que pertencem ao mundo natural e em muitos meio ambientes esta dinâmica é observável. Galáxias colidem no espaço profundo, asteroides se chocaram de forma intensa na formação dos planetas do sistema solar... o Inverno impõe suas regras em determinadas épocas do ano, gerando encolhimento, economia, busca de abrigo, etc.

Não há como evitar as tensões externas. evidentemente. Elas acontecem e sempre acontecerão. Se encararmos com mais naturalidade as pressões, podemos estar melhor preparados para lidar com elas.

Grandes trânsitos de oposição podem gerar efeitos capazes de fazer a pessoa ser posta à prova, exigindo coragem para enfrentar um cenário imprevisível e diferente do padrão. Além de ser um período de mudanças, estas podem acontecer com muita velocidade, muitas vezes, trazendo obstáculos em alguma área da vida.

Surpresas podem estar envolvidas neste tipo de configuração. O apogeu, ou seja, os limites de um processo podem ser atingidos.

QuadraturaQUADRATURA: é um aspecto forte e tenso onde os planetas estão a 90 graus um do outro na eclíptica, sendo considerados bastante desafiadores, onde há um tipo de atrito entre os temas dos astros envolvidos, que parecem estar com suas características ostensivamente sob interferência de outras posições, mas de forma diferente (ou menos direta) do que uma oposição.

Nas quadraturas, por conta em geral dos signos envolvidos possuírem naturezas adstringentes e com contrastes, em muitos casos (Áries-Capricórnio, Gêmeos-Peixes, etc.), existe também uma igual tensão.

Seria como combinar doce e salgado em um alimento por exemplo. É possível, mas se vai exigir maior cuidado na administração dos ingredientes e ao mesmo tempo, teremos de ajudar os degustadores a se sofisticarem em termos gastronômicos.

Da mesma forma, tentar harmonizar pode dar mais trabalho do que se imagina e ao mesmo tempo, tentar tirar o doce de um ingrediente, seria reprimi-lo ou cercear suas características. Por outro lado, extrair da tensão (dos gostos diferentes) algo novo, criativo e singular, pode trazer menor desgaste e maior naturalidade.

Os desafios trazidos pelas quadraturas nos pressionam para que possamos trabalhar as questões representadas pelos planetas envolvidos que, estando nessa configuração, tem propostas e objetivos diferentes ou conflitantes.

Tais conflitos muitas vezes geram irritações e atrasos, fazendo o nativo se esforçar mais do que gostaria para alcançar um resultado final adequado e obter ganhos em relação ao temas dos astros e casas envolvidos na quadratura. A pessoa precisa empreender muito mais força do que gostaria para integrar os assuntos pautados por aqueles astros em sua vida.

Quando duas forças de vetores diferentes se encontram, geram grande liberação de energia mecânica (física). Veja os acidentes de tráfego por exemplo, em cruzamentos (quadraturas). Imagine dois carros colidindo de bico em um ângulo de 90 graus de cruzamento de preferencial.

A caoticidade é imensa, ou seja, a imprevisibilidade de um curso futuro, quando isto ocorre. Os níveis de tensão, criatividade e força são imensos. Assim, quadraturas são imensas possibilidades de se liberar a espontaneidade e vencer as tensões, conciliando, como músicos de Jazz experimental, ritmos, instrumentos e estilos diferentes.

Por isto que os efeitos das quadraturas podem soar estranhos, desproporcionais, intensos e assumirem protagonismos diante dos demais aspectos. Equilibra as naturezas envolvidas talvez seja o caminho mais difícil.

Um Vênus, por exemplo, em quadratura com Urano, implica em ter de lidar com naturezas distintas, como entregar-se e dedicar-se ao amor e ao mesmo tempo, que se alinha com uma sensação de perda da individualidade. Da mesma forma, viver o prazer da liberdade com a sensação de que ninguém é capaz de compartilhar isto acontece.

Assim, quando se está só, se está bem e com um certo buraco interno. O mesmo se sente quando se está em uma relação. Se aprendermos a lidar com as sensações e vivermos intensamente as duas coisas, assumindo as contradições, talvez consigamos melhorar o bem estar interno.

Viver intensamente a troca quando estamos juntos e viver a liberdade em sua plenitude quando gozamos de autonomia. Em outras palavras, assumirmos as nossa contradições.

Talvez, se tentarmos nem ser tão livres, nem amarmos de forma plena, nos crie mais tensão e insatisfação, pela retenção dos fluxos.

Entretanto, a tensão destes aspectos pode significar movimento. As quadraturas são facilmente observadas como elementos agitadores, que geram ondas de movimento. Sem quadraturas, a maioria de nós nunca faria nada de muito útil ou recompensador, simplesmente porque não seríamos motivados pelas forças ou dificuldades que nos levam a agir para melhorá-las ou conquistá-las. Por isso, as quadraturas são provavelmente os aspectos mais propulsores do mapa, nos guiando a ter vidas mais dinâmicas, estimulantes, desafiadoras e interessantes.

Devemos nos esforçar para tentar abrir um canal para assimilar essas naturezas, pois embora quadraturas sejam tidas como tensas, suas características observadas são poderosíssimas. Muitos astrólogos acreditam que sejam os aspectos mais importantes por conta dessa indução ao movimento e a mudanças.

Quando conseguimos compreender e trabalhar essas energias conflitantes, somos impulsionados para agir e realizar algo. Porém, muitas vezes suas influências são incontroláveis, o que resulta em cenários complicados em nossas vidas. Superar essas crises e os obstáculos impostos pelas quadraturas é sinônimo de satisfação e crescimento pessoal no melhor estilo "no pain, no gain", pois quando as coisas são muito fáceis na vida, não há como ter um senso de realização genuíno. Por isso, quadraturas são fundamentais em nossa vivência astrológica, trazendo muitas vezes enormes desafios, mas ao mesmo tempo nos dando a oportunidade de superá-los.

Fracassos podem ocorrer naturalmente. Não podemos negligenciar isto. Da mesma forma que não se imagina que uma pessoa que está a aprender surf ou mesmo surfistas profissionais não irão cair e tomar um "caldo", como se diz em uma big wave de 6 metros no Havaí.
Estas ondas são caóticas, únicas e imprevisíveis. Assim, temos de ter o espírito de cair e levantar.

Mas, há um perigo sempre latente, que acontece quando bloqueamos ou desprezamos um dos astros envolvidos em uma quadratura, priorizando as influências do outro. Dependendo dos astros envolvidos, temos de entender suas naturezas e as tensões envolvidas. Aceitar o conflito como sendo natural e não dar importância excessiva a isto pode ser um bom começo.

Nesse caso, o que pode acontecer com esse tipo de comportamento é que as características em tensão eventualmente se manifestam, exigindo que a gente lide com elas de qualquer jeito (podem se manifestar no nível psíquico e físico, como no caso de doenças ou crises nos níveis existenciais).

O ideal é sempre trabalhar o tempo todo as influências dos dois planetas de forma dinâmica, através da gerência de um conflito dinâmico, das contradições e contrastes, se beneficiando destas experiências, sem fugas.

No horóscopo, costuma anunciar momentos desafiadores, incômodos internos e situações inesperadas que ocorrem totalmente à revelia. Com isso, a pessoa assume um papel de observador da própria vida, em que os fatos vão se sucedendo de maneira imprevisível e somos obrigados a lidar com eles.


Aspectos menores

Semisextils (30º), Quíntils (72º), Semiquadraturas (45º) e Quincúncios (150º) são todos aspectos tensos menores. Alguns astrólogos modernos ainda utilizam outras divisões como a sesquiquadratura (135º), Biquintil (144º) e Quindecile (165°). Seus efeitos podem ser vistos como uma versão mais fraca da quadratura. Alguns astrólogos atribuem a eles uma importância adicional na previsão de eventos. O semisextil é o único aspecto menor harmonioso, uma versão fraca do sextil.

SEMI-SEXTIL: este é um aspecto de 30 graus considerado relativamente harmonioso. Na verdade, ele acaba sendo muito delicado porque dois signos adjacentes são sempre muito diferentes um do outro. O lado divertido é dar uma espiadinha em cada um desses signos e conhecer suas características.

QUÍNTIL: é considerado muito positivo e se forma quando dois planetas estão separados por 72 graus. A família quintil também inclui o semi-quintil (36 graus) e o bi-quintil (144 graus). A diferença é que eles são menos utilizados de maneira geral.

SEMI-QUADRATURA: (45 graus) e também a sesquiquadratura (135 graus).

QUINCÚNCIO: também chamado de inconjunção, é quando os planetas estão a 150 graus de distância.

Observações importantes

  • Quanto mais curta for a orbe, mais forte é o aspecto;
  • Aspectos envolvendo pelo menos um planeta pessoal (Sol, Lua, Mercúrio, Vênus e Marte) ou o ascendente tendem a ser mais fortes;
  • Aspectos tensos são mais fortes que os aspectos fluidos;
  • Quando os aspectos estão em fase de aplicação, ou seja, se aproximando, tendem a ser mais fortes do que quando estão em separação;
  • Aspectos entre planetas transpessoais (Urano, Netuno, Plutão) não são relevantes à nível individual, a não ser em relação às casas mundanas.

E quando não há aspectos?

Em um mapa astral, geralmente muitos planetas estão formando aspectos com outros. Não é algo tão comum algum planeta não estar fazendo pelo menos uma conexão, por mais que haja certa restrição nas orbes utilizadas.

Quando um planeta está agindo de forma totalmente independente, ele representa uma influência poderosa e crua, pois sua força é canalizada sem nenhuma interferência, sem dividir espaço com ninguém.

Se não faz aspectos, ele não estará participativo das equações do Sol, Lua e ângulos do mapa. Assim, pode se tornar estranho à natureza da pessoa. Por isto, muito astrólogos observaram que um astro sem aspectos pode mostrar algo insólito, inesperado e incomum na direção de sua natureza, signo e casa que ocupa.

O único problema é conseguir controlar e utilizar bem toda essa energia abundante e direta, pois ela pode se tornar incontrolável ou gerar excessos dependendo da situação. Tais excessos podem se refletir em diversas áreas e situações da vida, evidenciando altos e baixos.

Planetas sem aspectos são casos mais raros, mas caso haja um em seu mapa astral, o melhor a se fazer é estudar e compreender a totalidade de seus temas para tentar administrar tais características com outras posições importantes no mapa. A casa onde o planeta desgarrado se encontra pode dar dicas de que áreas serão mais influenciadas por ele.

REFLEXÃO...

Pense nos aspectos harmônicos como um grande ventilador que está atrás de você: o vento pode aliviar o calor e ainda lhe impulsionar para frente! Você andará com um pouco mais de facilidade, percorrendo maiores distâncias de uma forma confortável. Mas, se ficar parado, vai apenas se sentir refrescado. O ideal é aproveitar a vantagem da propulsão para chegar cada vez mais longe.

Já para nos aspectos tensos, imagine que este mesmo ventilador está à sua frente: você caminha com uma maior dificuldade, precisa fazer um pouco mais de esforço. O vento no rosto pode atrapalhar se você não fechar os olhos às vezes. Mas, quando você chega no seu destino, a sensação de ter superado o desafio pode ser gratificante e fazer com que você seja mais experiente em certas áreas! Você sente que dominou uma dificuldade, encontrou os recursos necessários para transpassar o desafio e testou sua capacidade de resiliência, ganhando mais experiência durante o desafio e ficando mais forte.

Os Aspectos no Horóscopo Pessoal

O horóscopo é uma ferramenta astrológica que informa sobre as movimentações e influências planetárias, fáceis ou difíceis, que estão ou estarão no seu caminho. É baseado nos trânsitos planetários do momento e os aspectos que os planetas formam com aqueles que estão configurados em seu mapa astral.

O ideal para quem deseja contar com influências mais assertivas é se valer de opções mais personalizadas, que detalham todos os trânsitos planetários do momento e como eles interagem com o seu mapa astral, como o horóscopo disponibilizado aqui no Astrolink, algo que faz toda a diferença na precisão das informações.

Categorias

O céu no momento...

sábado, 13 de julho de 2024 | 07:12