Como ler seu Mapa Astral

Guia completo para você aprender como ler seu Mapa Astral
Como ler seu Mapa Astral
por Astrolink em Astrologia

Então você fez um mapa astral no Astrolink e se deparou com um monte de informações ultracompletas, que realmente podem intimidar à primeira vista, certo?

Todas as influências e tendências estão lá, como uma impressão digital do momento exato do seu nascimento, mas sabemos que é um monte de coisa para ler e assimilar e se você é um iniciante, pode ter várias dúvidas.

Um dos primeiros grandes desafios para os amantes ou entusiastas da astrologia é saber como funciona a síntese e a leitura completa de um mapa astral. O que os planetas, signos, casas e aspectos representam?

Muitas vezes, nos deparamos com pessoas que reduzem o escopo da astrologia divivindo todos os seres humanos em apenas 12 categorias apenas: os doze signos. Mas, se adicionarmos apenas o Ascendente a essa equação, o número já aumenta para 144 combinações. E isso é só a ponta do iceberg, pois a posição do regente do ascendente, das casas astrológicas, dos aspectos planetários e muitas outras variáveis elevam a análise astrológica para um nível totalmente diferente.

No caso do nosso mapa astral pessoal, até fazemos uma forcinha para eventualmente ler e reler até ganhar um maior entendimento, principalmente em épocas diferentes, com outra cabeça, outro approach... porém, se fizermos mapas de amigos, familiares e relacionamentos, pode ser difícil examinar tudo no mesmo nível de detalhes.

Para te ajudar, vamos mostrar coisas importantes a serem levadas em consideração para que você consiga ter uma noção geral bem sintetizada.

Preparamos um guia interessante para você aprender passo a passo o básico sobre como ler seu mapa astral e o que cada parte dele significa.

Para começar, o que é um Mapa Astral?

Esta parece uma pergunta muito simples, mas tem bastante profundidade se refletirmos sobre ela com calma. No sentido mais básico, podemos questionar: um mapa astral é apenas um guia do nosso mundo interior, de nossa composição psicológica e personalidade? Ou um mapa da nossa vida inteira, do nosso destino, dos acontecimentos e eventos da vida, carreira, cotidiano e ambiente familiar?

E a resposta é: ambos. Na verdade, o mapa astral descreve como percebemos, experimentamos, interpretamos e interagimos com a realidade à nossa volta. A dinâmica de um mapa astral tem como principal proposta exibir a possível atuação dos campos de energia que são gerados constantemente ao nosso redor de acordo com o posicionamento da terra em relação aos outros astros - e como elas irão nos influenciar continuamente durante a vida, de acordo com o estudo da astrologia e do hermetismo, primariamente em sua segunda lei, a Lei da Correspondência: "O que está em cima é como o que está embaixo. O que está dentro é como o que está fora".

Um Mapa Astral pode ser considerado como um tipo de "manual básico do autoconhecimento", algo que nos ajuda a trilhar nosso caminho em direção a uma evolução pessoal.

Mas, uma coisa é certa: a interpretação de um mapa astral não pode ser vista como algo objetivo, preto no branco. Há muitas influências e nuances a serem consideradas junto com a nossa subjetividade, intuição, consciência, sentimentos e visão de mundo.

A mecânica astrológica

Todo corpo celeste tem suas próprias ondas eletromagnéticas e ação gravitacional. Assim como o posicionamento da Lua influencia nas marés, outras diferentes influências chegam até nós dependendo do posicionamento que a terra se encontra em relação ao cosmos.

Todos nascemos em um local diferente no globo e estamos nos movendo o tempo todo através do tempo e espaço, sofrendo interações diferentes a todo instante: a terra gira sobre seu próprio eixo e ao redor do sol, junto com outros planetas do nosso sistema solar. Este, também está girando em torno do centro da galáxia, junto com outros sistemas, num espiral eterno. Quem sabe talvez um dia chegaremos a constatação de que a palavra ideal para a ação astrológica efetiva seja radiação.

Os planetas e signos, com seus significados próprios dentro do estudo da astrologia, representam certos princípios arquetípicos que trabalham juntos de acordo com a situação cósmica de um determinado momento no espaço-tempo, interagindo conosco de acordo com suas forças, fraquezas, propostas e capacidades.

O signo onde Mercúrio está, por exemplo, dá forma à maneira como captamos e transmitimos informações e ao funcionamento do nosso sistema nervoso. A casa astrológica onde Netuno se encontra tende a se tornar mais embaçada e nebulosa na forma como a experimentamos. Já o posicionamento de Júpiter, nos mostra como e onde temos a tendência a termos mais sorte, abundância, oportunidades e expansão.

Por conta das combinações individuais de todo o contexto do mapa e na nossa forma subjetiva de experimentar a realidade, certos potenciais se desenvolvem de forma mais fluida e outros não. Algumas partes de nossos mapas mostram benesses e boa sorte, nos apoiam e encorajam. Já outras são mais desafiadoras, nos propondo limitações, atitudes de superação e forçando situações de desapego.

Analisar nosso mapa astral pode nos trazer mais consciência, mas como tudo na vida, não devemos ficar totalmente presos a ele para que não ponhamos a responsabilidade de tudo o que acontece em nossas vidas, nos astros.

É importante entender que, na verdade, não existem aspectos ou posições negativas ou que irão nos prejudicar de forma perpétua. Mesmo que certas configurações possam nos demandar mais energia, nos deixar exaustos, limitados ou fracos, todo desafio carrega uma grande quantidade de energia sendo liberada dentro de nós quando é resolvido. Não devemos ter medo de aspectos considerados mais tensos, pois eles significam que temos coisas a aprender e evoluir ao longo da atual existência.

O que a astrologia diz basicamente é que: somos uma extensão do cosmos operando em sua mais perfeita ordem. A palavra "cosmético" em seu contexto contemporâneo vem dessa ideia, pois deriva da palavra grega "cosmos", que significa basicamente "beleza", "ordem", "harmonia", "organização".

O universo é de fato algo belo que trabalha dentro de seu próprio "caos organizado". Todos nós somos uma espécie de extensão do universo, a manifestação humana D'ele em um determinado tempo e lugar. Como ferramentas de suas necessidades atemporais, somos o universo se expressando e experimentando a si mesmo.

Parece algo difícil de ser compreendido, mas lembre-se de que nossos sentidos são muito limitados. Podemos ver muito pouco do espectro eletromagnético e ouvir menos ainda. Alguns animais, por exemplo, não podem ver determinadas cores pois não possuem os receptores necessários para tal.

E tudo o que experimentamos, fazemos com nossos sentidos. As cores e o som não existe em si mesmos - nós temos que criá-los e interpretá-los em nossos cérebros e mentes. Tudo é composto apenas de ondas eletromagnéticas até que consigamos traduzi-las em conceitos como som, visão, paladar, olfato, etc. Há muitas outras energias das quais não estamos cientes, mas isso não significa que elas não existam.

A astrologia carrega em seu cerne a disposição de tentar tocar o intangível através de símbolos e arquétipos que possam traduzir, em uma linguagem humana, toda essa interação energética, traçando um paralelo entre o macrocosmo e o nosso micricosmo, a nossa existência mundana.

Leia também o nosso artigo sobre o que a astrologia pode e não pode fazer.

Como interpretar os planetas no Mapa Astral

Exemplo Posicionamentos
Sol em Gêmeos na Casa 3, Lua em Sagitário na Casa 9

O mapa astral é basicamente uma combinação de planetas, signos, casas e a interação entre tudo isso. Para podermos ler corretamente nosso mapa astral, é primordial compreender algumas coisas básicas, como qual é a qualidade dos planetas que o compõem e o que cada um deles tem a nos dizer.

Na astrologia, planetas são as partes da nossa psique, que nos animam e dão forma, que impulsionam nossa atuação em vida. São arquétipos que atuam de forma distinta. Todo planeta na astrologia é um tipo de ator, uma parte separada dentro de nós que cumpre determinado papel em nossas vidas. Por exemplo, o Sol é o Pai e diz sobre nossa essência primordial, luminosa, nosso centro de poder. A Lua é a Mãe e diz sobre a nossa essência interior, nossa mecânica emocional e hábitos. Vênus fala sobre como expressamos e atraímos afeto e nossa percepção de beleza e valores, Mercúrio mostra como pensamos e nos comunicamos, etc.

Veja uma explicação resumida sobre cada um dos principais temas dos planetas na astrologia:

SolSol

O Sol é o astro central do nosso mapa astral, é o princípio Uno. É o Pai, considerado a parte centralizadora do mapa e representa nossa essência básica, através da qual outros fatores irão interagir. Por isso, quando dizemos que alguém é "ariano", na verdade queremos dizer que a pessoa tem o Sol posicionado em algum grau do signo de Áries em seu mapa astral. Saiba mais sobre o significado do Sol na Astrologia.

AscAscendente

O ascendente não é especificamente um planeta, mas sim a cúspide (linha inicial) da Casa 1 no mapa astral, sendo um posicionamento muito importante. Significa o nosso temperamento básico, aparência, a máscara que usamos no dia a dia, a nossa imagem projetada, ou seja, como somos vistos pelas pessoas e a primeira impressão que causamos. É a nossa primeira manifestação no mundo e diz muito sobre a forma como iniciamos as coisas. Mais detalhes sobre Signo Ascendente.

LuaLua

A Lua representa a nossa natureza instintiva, o mundo das emoções, dos sentimentos, o nosso comportamento no lar e em nosso mundo privado. A energia da Lua mexe com o nosso íntimo, é o que nos dá sensibilidade, intuição e diz muito sobre como nos nutrimos, a nós mesmos e o ambiente que nos cerca. Veja mais sobre a Lua na Astrologia.

MercúrioMercúrio

Mercúrio é o planeta que rege nosso intelecto e mostra a forma como nos comunicamos. Ao interpretá-lo em nosso mapa astral, é possível revelar algo sobre a forma que pensamos, como funciona nosso raciocínio, qual é a nossa forma de se comunicar com as demais pessoas e como assimilamos informações. É considerado o "mensageiro dos deuses". Mercúrio na Astrologia.

VênusVênus

Vênus oferece informações importantes sobre a maneira como expressamos nossos sentimentos nos relacionamentos interpessoais, o que fazemos para atrair afeto, nossa percepção da beleza, nosso comportamento com valores, dinheiro, bens móveis e o modo de operação no amor. Diz muito sobre o que consideramos belo e quais são nossas sutilezas. Confira mais informações sobre Vênus na Astrologia.

MarteMarte

Marte nos traz informações sobre nossa força motriz, nosso lado ativo e guerreiro, nosso instinto de luta e defesa, comportamento sexual ativo e motivação para agir e ter sucesso. É o planeta que dá o tom sobre nossa propulsão e nossos desejos. Saiba mais sobre Marte na Astrologia.

JúpiterJúpiter

Júpiter é considerado o "grande benéfico" na astrologia, o planeta que expande o que toca. No mapa astral, diz muito sobre o que prezamos como algo maior e mais elevado, a nossa sorte e capacidades, o que o nosso espírito valoriza de verdade, nosso otimismo e modo de expansão. Dá um impulso positivo na área da vida o qual está positionado, gerando benesses. Saiba mais sobre Júpiter na Astrologia.

SaturnoSaturno

Saturno é o oposto de Júpiter, considerado o "grande maléfico". Um planeta restritivo que tende a dar forma às coisas. Sem ele, seríamos apenas criaturas disformes e de uma expansividade desmedida. É o que gera nossa cautela e solidez, indicando quais são os nossos limites, a forma que lidamos com regras e a qualidade da nossa responsabilidade. Júpiter na Astrologia.

Urano, Netuno e PlutãoUrano, Netuno, Plutão, etc.

Além desses planetas, existem também os chamados Planetas Transpessoais (ou geracionais), como Urano, Netuno e Plutão, além de outros posicionamentos como Meio do Céu, Fundo do Céu, Descendente, alguns asteróides e outros pontos. Acessando o mapa astral do Astrolink você entenderá o que cada um deles representa.


Como interpretar os Signos no Mapa Astral

Como ler os planetas e signos no mapa astral

O círculo externo do seu mapa mostra os símbolos dos signos. Cada um deles compreende a 30° do círculo, formando a roda zodiacal de 360°. Ao observar os símbolos dos planetas no mapa, você pode ver em qual signo e casa estão posicionados.

Relembrando, os planetas representam as energias da nossa psique e os signos são os responsáveis por dar o tom à elas. É o que vai fazer os modos de operação serem diferentes um do outro.

Podemos dizer que os signos dão traços de personalidade aos planetas e são os assuntos mais divulgados e popularizados no mundo astrológico, onde muitas vezes ouvimos falar só deles e não dos planetas e casas em conversas informais com pouco conhecimento sobre o assunto. Por isso, é bem comum que existam interpretações rasas sobre as características de cada um dos doze signos.

Para saber mais sobre cada um deles, você pode acessar nossos artigos para aprender o que realmente eles representam e como funcionam dentro da dinâmica astrológica. Recomendamos essa leitura para desconstruir os clichès e estereótipos, afinal, Áries é muito mais do que um signo esquentadinho, Touro é mais do que sentir fome, etc.

Categorizando os signos de forma rápida

Signos de Fogo

Fogo

Áries, Leão e Sagitário compartilham de uma energia ativa e inovadora, pois são regidos pelo elemento Fogo, de polarização Yang / Masculina.

Yellow Separator

Signos de Terra

Terra

Touro, Virgem e Capricórnio desfrutam do gosto pela ordem, a segurança e o domínio sobre a matéria, pois são regidos pelo elemento Terra, de polarização Yin / Feminina.

Yellow Separator

Signos de Ar

Ar

Gêmeos, Libra e Aquário são movidos pelo intelecto, pela razão e pela comunicação, preceitos do elemento Ar, de polarização Yang / Masculina.

Yellow Separator

Signos deÁgua

Água

Câncer, Escorpião e Peixes estão envoltos pelas emoções, profundidade e pela sensibilidade inerentes ao elemento Água, de polarização Yin / Feminina.

Como interpretar as Casas no Mapa Astral

Em um mapa astral há também outra subdivisão, a das doze casas astrológicas. No desenho do mapa, elas variam em seu tamanho, pois isso tem a ver com o local e a época do ano do seu nascimento. É o círculo mais interno, logo abaixo da divisão de signos.

Uma casa astrológica (também chamada casa mundana ou campo de experiência) é uma área da vida, de experiência pessoal. Enquanto os planetas são partes de nossa psique e o signo em que eles estão posicionados mostram quais traços essas partes assumem, as casas mostram as áreas da vida na qual esse conjunto tem mais condições de se manifestar.

Devemos analisar quais planetas e signos estão em cada casa para poder entender qual é o efeito deles sobre as áreas da nossa vida.

Casas

Existem também alguns eixos, cruzes no mapa astral, sendo a cruz cardinal a mais importante. Esta cruz pega as cúspides (inícios) das casas 1, 4, 7 e 10.

AscendenteAscendente (ou cúspide / início da Casa 1): É o ponto que inicia a primeira casa do gráfico. Oposto a ele, está o chamado Descendente, ou cúspide da Casa 7. É a nossa persona, nossa janela de abertura para o mundo, nossa máscara e como somos vistos em primeira instância.


DescendenteDescendente (ou cúspide / início da Casa 7): Descreve como vemos os outros, o que projetamos nas outras pessoas, nossas parcerias, o que nos atrai e o que buscamos em um parceiro. Diz muito também sobre projeções, o que acabamos projetando no outro e a qualidade dos relacionamentos que atraímos para a nossa vida. Dependendo dos planetas envolvidos, tal área pode ser mais fluida ou tensa.


Fundo do CéuFundo do Céu (ou cúspide / início da Casa 4): Descreve de onde viemos, nossas raízes, família, nosso lar, a base de quem somos, nossa infância e última parte da vida. Diz-se que para que o Meio do Céu, a copa a sua árvore funcione de forma fluida e obtenha uma boa visibilidade, as raízes têm que estar sempre bem fincadas no chão e bem nutridas.


Meio do CéuMeio do Céu (ou cúspide / início da Casa 10): É a nossa reputação e imagem pública. É para onde vamos, onde estamos nos esforçando para chegar, quem queremos nos tornar e o que queremos contribuir no mundo. É parte do nosso papel social e versa sobre os objetivos e conquistas que nos esforçamos ou temos mais predisposição para conquistar.


Como ler os Aspectos no Mapa Astral

Depois de compreender como os planetas, signos e casas se associam, passamos para uma segunda etapa muito importante da nossa interpretação: compreender o que são os aspectos e como eles influenciam nosso mapa astral. Como dissemos, os planetas são os protagonistas de nosso mapa astral, portanto, o relacionamento entre eles não pode ficar de fora da interpretação.

Aspectos são o relacionamento entre dois planetas. São análises de como um planeta interage com outro e qual é a afinidade das energias que estão sendo trocadas de acordo com a posição que eles ocupam no nosso mapa astral. Por exemplo, se dizemos que em um determinado mapa, Vênus está em Conjunção com Mercúrio, isso significa que ambos os planetas estão posicionados lado a lado, no mesmo signo e em uma orbe (distância em graus) possível. Mas, se dizemos que Vênus está em Oposição com Marte, significa que ambos os planetas estão situados em signos opostos, a 180 graus de distância um do outro, como por exemplo, Áries e Libra.

Aspectos são cruciais e, possivelmente, a parte mais confiável das interpretações, pois sua interação depende única e exclusivamente da orbe dos planetas e não mudam a forma que são gerados dentro dos métodos de construção dos mapas, diferente das casas, que podem sofrer alterações de acordo com a técnica utilizada.

Saber o aspecto planetário mais forte de uma pessoa pode dizer muito sobre ela e dar um outro tom às outras diversas interpretações do mapa. Por exemplo, uma pessoa pode ter o Sol em Áries além de outros posicionamentos mais proativos ou secos. Mas, se ela tiver a Lua em conjunção com Netuno, por exemplo, dificilmente será uma pessoa fria ou ríspida, pois sua sensibilidade emocional poderá ganhar bastante destaque em sua personalidade.

Aspectos podem ser fluídos ou difíceis. Nós temos um artigo interessante que explica como os aspectos agem, mas por enquanto, veja um resumo dos principais aspectos (chamados Aspectos Maiores) que podem ser encontrados em um mapa astral:

Conjunção

Conjunção

É o aspecto mais poderoso, que combina a força de dois planetas, que tendem a não saber agir sozinhos, mas sempre em conjunto com o outro. Dependendo do planeta e do signo onde ocorrem, pode ser tornar fácil ou desafiador.

Yellow Separator

Oposição

Oposição

É um aspecto de tensão bastante poderoso e que coloca as energias de dois planetas em conflito. Como o nome diz, opostos um ao outro e significa basicamente projeção. Sua ação se dá geralmente em um conflito com o outro e não com inquietações internas.

Yellow Separator

Trígono

Trígono

É o aspecto mais forte entre os fuidos e faz com que os planetas trabalhem de forma mais natural, enriquecendo um ao outro. A ajuda proporcionada tende a ser bastante visível na vida da pessoa, onde as coisas acontecem de forma mais fácil.

Yellow Separator

Quadratura

Quadratura

É um aspecto de tensão que dificulta a relação entre os planetas. Causa uma dificuldade interior que pode também ser visível, como se as energias não pudessem trabalhar juntas, apenas uma de cada vez.

Yellow Separator

Sextil

Sextil

É um aspecto favorável que aumenta a harmonia e a complementaridade entre os signos. É menos intenso do que o trígono e sua ação gera oportunidades que devem ser aproveitadas para que a influência funcione à contento.

Fazendo uma análise sintética

Fazer um "resumão" do Mapa Astral é uma tarefa bastante ingrata, pois temos que tentar analisar todas as informações e pescar as áreas de maior influência, que realmente se destacam. Isso não significa que vamos jogar o resto fora, mas a síntese de um mapa astral tem como objetivo reunir suas diferentes influências e energias de maneira coerente, tornando a leitura mais objetiva e focada.

Fazer o primeiro resumo pode ser mais complicado: o que olhar e como interpretar o que foi encontrado? Com o tempo, a prática torna a leitura mais eficiente e natural e só de bater o olho, saberemos o que precisamos destacar e elucidar.

Ajuda muito também montar um sistema pessoal para auxiliar nesse processo de coleta e interpretação de dados. A seguir, mostraremos um método utilizado por alguns astrólogos para obter uma síntese eficiente do mapa astral, mas você pode montar o seu próprio método baseado em sua percepção única.

Abaixo você pode ver alguns conceitos básicos para que você inicie uma análise mais rápida de um mapa astral, mas saiba que não existe um método "mais correto" que o outro: a análise de um mapa vai sempre depender do cruzamento das características básicas dos arquétipos com uma interpretação subjetiva, advinda de sua própria vivênvia, intuição e bom senso.

Degustação: Comece como se estivesse fazendo uma verdadeira degustação. Assim como fazemos com um vinho, observando sua cor, cheiro e particularidades depois do primeiro gole, olhe para o mapa procurando características marcantes. Não se apresse, respire fundo e tome seu tempo. Veja cada uma das casas e planetas, quais aspectos maiores e mais influentes estão acontecendo (principalmente com as casas angulares, 1, 4, 7 e 10), as qualidades, elementos e distribuição entre os dois hemisférios, enfim, tudo que possa ajudar a definir as peculiaridades do mapa e onde estão as maiores concentrações energéticas. O objetivo é ter uma primeira impressão geral e anotar tudo o que for relevante.

Organização: Faça uma lista com as áreas mais importantes da vida, como relacionamentos, trabalho, carreira, dinheiro, comunicação, fé, criatividade, diversão, família, saúde, talentos, etc. Separe tudo que você acha essencial e quais são as informações mais relevantes a serem obtidas e transmitidas. Observe cada casa astrológica, quais signos ocupam as cúspides e que tipo de influências eles trazem, fazendo pequena observações sobre cada uma.

Tente entender cada ponto: Veja qual casa o Sol ocupa e em qual signo ele está. Depois, qual casa a Lua ocupa e em qual signo ela está. Em seguida, vá se aprofundando um pouco mais nos detalhes restantes:

- Veja a condição do Ascendente (a cúspide da casa 1) e todos os aspectos e planetas que estão próximos a ele. Esta é a casa angular mais importante em um mapa astral;
- Veja qual planeta rege o ascendente, que casa ele ocupa e que signo que está lá;
- Depois, analise o signo que se encontra no Meio do Céu (a cúspide da casa 10), uma casa deveras importantes pois é a sua imagem social, reputação e aspirações na vida;
- O mesmo vale para os planetas pessoais: Mercúrio, Vênus e Marte; os sociais: Júpiter e Saturno e os transpessoais: Urano, Netuno e Plutão, sendo estes últimos mais relevantes para a análise das casas e aspectos;
- Passe então para os Nodos Lunares, uma área que rege sua zona de conforto e está ligada à sua evollução pessoal;
- Finalize analisando Quirón, os demais asteróides, as partes árabes e coisas mais secundária e avançadas, caso deseje.

Adicione seu toque pessoal: Agora você deve misturar tudo o que você conseguiu reservar aos seus próprios insights pessoais, anotando cada coisa junto com a sua interpretação subjetiva. Para isso, observe os signos, planetas e aspectos que você encontou. Embora você esteja fazendo uma análise rápida, tire um tempo para escrever tudo que você acha importante e qual foi o embasamento astrológico utilizado em sua visão subjetiva. Anote as informações gerais sobre o mapa astral em questão.

Resolvendo os conflitos: Se correu tudo bem até aqui, você está no caminho certo para sintetizar todos os dados obtidos, mas antes deve trabalhar os conflitos existentes. Cruze suas anotações em busca de interpretações conflitantes e separe-as. Depois de encontrar todas as possíveis contradições, você precisa determinar quais informações são mais precisas e condizentes com a realidade e a personalidade da pessoa. Conflitos sempre existirão dentro do escopo astrológico e cabe ao astrólogo tentar resolve-los da melhor forma possível.

Para isso, alie todo seu conhecimento astrológico e a sua intuição para descobrir qual influência é maior e mais alinhada com a personalidade da pessoa em questão. Observe a intensidade dos planetas e aspectos, se alguma energia está sendo bloqueada ou redirecionada, quais podem ser mais fracas ou fortes... A própria pessoa pode disfarçar algumas influências em sua vida, afinal, todos nós usamos alguma máscara para nos tornarmos mais sociáveis ou lutamos contra algumas características para atingirmos certos objetivos. Assim, nem sempre essas contradições devem ser eliminadas, apenas repensadas, para descobrir como se encaixam na vivência do indivíduo.

Finalizando a análise: Pronto, se você conseguiu alinhar todas as contradições e fez várias anotações relevantes, você atingiu seu propósito, que era gerar uma síntese de todo o mapa astral, descobrindo as energias que mais influenciam o indivíduo e pintando um panorama de suas características, fluências, tensões e caminho de vida. Caso ainda não tenha segurança total dos resultados obtidos, continue explorando e estudando o mapa até sentir que sua interpretação é a mais correta e completa possível.

Agora você já sabe como ler seu mapa astral!

Depois de ler nosso guia e compreender como deve ser feita a leitura de um mapa astral, você está preparado para saber o que os astros tem a dizer sobre você e sobre as pessoas ao seu redor. Vale lembrar que um mapa astral é como uma impressão digital astrológica, o cruzamento de todas essas informações tende a gerar um cenário único e bastante específico para cada um de nós e essa é mais uma das razões pela qual devemos tomar cuidado com os estereótipos dos signos.

Além disso, devemos sempre lembrar que os astros exercem um papel muito importante em nossas vidas, mas que existem muitos outros fatores que contribuem para o desenvolvimento da nossa personalidade, como o contexto no qual crescemos, as pessoas com as quais interagimos, o fator genético e acima de tudo, o livre arbítrio. A astrologia surge como um guia que pode ajudar o nosso autoconhecimento e para isso precisamos utilizá-la com sabedoria.

Qual o próximo passo?

Você ainda não sabe como é o seu mapa astral? Não se preocupe, pois aqui no Astrolink você tem acesso ao seu mapa de forma rápida e simples. Você só precisa saber as suas informações de nascimento: data, hora e local exatos.

Faça seu Mapa Astral Completo agora e aproveite todas as dicas que nós demos para aprender muito mais sobre você! Compartilhe esse guia nas redes sociais para que todos seus amigos também possam se autoconhecer melhor.

Leia mais artigos do Astrolink ver todos

Os Elementos, Qualidades e PolaridadesOs Elementos, Qualidades e Polaridades
Os quatro elementos formam a base de toda a vida: estamos de pé sobre a terra, as informações ao nosso redor apelam para o nosso intelecto e verbo evocando o elemento ar, nossas ações são regidas pelo domínio do fogo, enquanto que as emoções desencadeadas pelas nossas experiências vêm do elemento água.
As Casas AstrológicasAs Casas Astrológicas
As casas astrológicas são separações, dividem o campo celeste em 12 áreas distintas e são como as áreas das nossas vidas. Ter um signo em uma determinada casa, significa poder se expressar ou adquirir algo para em seguida ponderar sobre as consequências e fazer uma nova ação, se necessário.
O que a Astrologia pode e não pode fazer?O que a Astrologia pode e não pode fazer?
Pode se dizer que a mecânica da Astrologia pode ajudar as pessoas a ficarem mais no controle de suas vidas. Não tem nada a ver com adivinhação de cartomante, apenas a constatação de que além de possuirmos livre arbítrio, também fazemos parte das mesmas leis universais que regem o todo.
As Dignidades PlanetáriasAs Dignidades Planetárias
Domicílio, Exaltação, Queda e Exílio. As Dignidades Planetárias nos levam a crer que a relação entre planetas e signos é muito forte e relevante, até mesmo essencial para entendermos melhor a astrologia e termos embasamento para interpretar a influência que cada posição dos planetas pode exercer por completo.
A História da AstrologiaA História da Astrologia
Entenda como tudo começou. A Astrologia se desenvolveu de forma mais criteriosa na Mesopotâmia, com um conjunto de elementos classificados e organizados entre si pelos povos da Babilônia, Pérsia, Suméria e Assíria, além dos Caldeus.
Entendendo o Signo AscendenteEntendendo o Signo Ascendente
O Ascendente é considerado por muitos como um dos mais complexos assuntos da astrologia, causando inúmeras dúvidas. O que é de fato o Ascendente? É algo que complementa o nosso Sol? É mais forte ou mais fraco que o signo solar? Sou mais parecido com meu ascendente ou com meu signo solar?
Os Aspectos PlanetáriosOs Aspectos Planetários
Aspectos mostram basicamente como os vários planetas se dão uns com os outros, com base no local onde estão em um determinado momento. Um aspecto planetário é a distância específica entre quaisquer dois pontos ao redor da eclíptica zodiacal e são formados entre dois planetas.
O Meio do CéuO Meio do Céu
Se você está preocupado com qual direção tomar em um determinado momento, ou com a carreira que você escolheu (ou que teve que seguir), sempre considere o Meio do Céu em seu mapa astral, onde não há sombras ou dúvidas, mas um possível guia para considerar o melhor rumo.
Os Símbolos PlanetáriosOs Símbolos Planetários
Os símbolos (ou Glifos) Planetários têm uma história e significado. Ao contrário do que muitos pensam, não são só desenhos aleatórios e desconexos. São ideias singulares que se montam para criar a melhor forma de externar as energias envolvidas pelos planetas dentro da Astrologia.


Signos no Astrolink

Piscianos    9.09 %
Arianos    8.83 %
Cancerianos    8.79 %
Geminianos    8.69 %
Taurinos    8.67 %
Aquarianos    8.22 %
Virginianos    8.17 %
Leoninos    8.16 %
Escorpianos    8.04 %
Librianos    7.94 %
Capricornianos    7.82 %
Sagitarianos    7.59 %

O céu no momento...

Sol 19 Esc 52' 15"
Lua 19 Tou 58' 53"
Mercúrio 17 Esc 41' 41" R
Vênus 13 Sag 19' 11"
Marte 25 Lib 34' 22"
Júpiter 25 Sag 39' 28"
Saturno 16 Cap 17' 52"
Urano 03 Tou 59' 36" R
Netuno 15 Pei 59' 23" R
Plutão 21 Cap 01' 48"
Quiron 01 Ari 51' 06" R
Lilith 21 Pei 30' 59"
Nodo Norte 09 Can 24' 08" R

Aspectos ativos

Sol OposiçãoLua
Sol ConjunçãoMercúrio
Sol SextilPlutão
Lua OposiçãoMercúrio
Lua TrígonoPlutão
Mercúrio SextilSaturno
Mercúrio TrígonoNetuno
Vênus QuadraturaNetuno
Marte SextilJúpiter
Saturno SextilNetuno