1. Tarot
  2. Arcanos Maiores
O Louco
Carta "O Louco" Crédito: Tarot Rider-Waite

0 O Louco

Inícios e espontaneidade

O Louco simboliza novos começos, novas experiências, simboliza o início da jornada. Quando aparece em uma consulta, geralmente indica que está na hora de deixar para trás tudo que empata nossos objetivos, como medos, dúvidas e preocupações, para trilhar novos caminhos. O arquétipo do Louco diz: "saia em sua jornada, esse é o propósito da vida!". A  carta sugere que esse novo começo seja recebido de braços abertos, sem receios ou amarras.

Um pouco mais sobre a carta O Louco...

O Louco é a primeira carta do Tarot (ou a última, dependendo do baralho). É a carta de número 0 (zero), um número de potencial ilimitado. Simboliza o início da jornada - ou o começo de um novo ciclo. É um Arcano otimista, que em geral carrega uma simbologia bastante positiva.

A carta não tem um lugar específico na sequência das cartas do Tarot. Pode vir no início dos Arcanos Maiores ou no final. Aliás, os Arcanos Maiores são muitas vezes considerados como "a jornada do Louco pela vida", ou "a jornada do herói", por isso ele está sempre presente e, portanto, não precisa de um número.

Na carta, assim como a simbologia do zero, o Louco é o símbolo do início de uma caminhada de infinitos potenciais, o início da Jornada do Herói. O Sol nascendo atrás dele representa o início da caminhada, onde ele está rumando em direção ao desconhecido e olhando para cima, em direção ao céu (ou ao Espírito, ao divino, a iluminação ou algo superior). Ele também está prestes a sair de um penhasco para se lançar no mundo - estando ou não preparado.

Ele carrega nada mais do que sua pureza, inocência e confiança, simbolizada pela rosa branca em sua mão. Sua roupa contém as cores dos quatro elementos do tarot, indicando que ele está em harmonia e equilíbrio com tudo o que o rodeia. Sua intuição é imensamente forte e ele tem todo o apoio do universo para se lançar rumo ao desconhecido, tudo por conta de sua inocência.

Com seu cajado e sua bolsa, ele parece ter todos os recursos que precisa, mas parece não conhecer exatamente o que possui. A rosa branca na mão esquerda simboliza a pureza e a inocência. O cãozinho é um de seus guardiões e o protegerá ao longo de sua jornada, alertando-o sobre os perigos, mas também forçando-o a aprender as lições que precisa ao longo de sua jornada.

As montanhas representam o reino que ele acabou de deixar para trás e passará sua vida tentando retornar em um estágio aprimorado de si mesmo, sempre evoluindo e trilhando o seu caminho em direção a elevação.