Casa 12
A Casa 12 - O subconsciente e a integração

Casa Cadente de Água Água

Conhecimento e aprendizagem emocional e para a Alma. Nesta última casa de água, dá-se a integração emocional das experiências de todo o mapa. Representa o mergulho nas memórias do inconsciente. A Casa 12 indica o tipo de experiências através das quais alcançamos o que de mais íntimo e profundo existe em nós; é o momento do confronto do Eu consigo mesmo.

Pode ser vivenciada como experiência mística ou onírica, meditação, dádiva, rendição e entrega perante algo maior que o ser. Todos os fatores nela contidos são vivenciados de forma interior e subjetiva. Esta casa refere-se a tudo o que diz respeito à vida anímica e interna: é através dela que temos acesso ao inconsciente coletivo, com os seus mitos intemporais - é onde tocamos o "sentir coletivo".

Do ponto de vista tradicional, é também a casa do carma (juntamente com a 8) e a casa dos inimigos ocultos. Está ainda associada coisas feitas nos bastidores, a hospitais, prisões e asilos, sendo considerada a casa do isolamento e das "prisões emocionais". Perante o isolamento, a reclusão e o silênco interior, poderemos perceber o sentido da vida; encontrarmos a nós mesmos; fazer contato com o nosso verdadeiro Eu, a Alma.

Só depois deste mergulho no Todo poderá, mais tarde, surgir um verdadeiro renascimento e uma reintegração. A casa 12 representa, por isso, a dissolução que antecede o renascimento; é o "eu subjetivo", interior, inconsciente, enquanto a Casa 1 representa a manifestação obetiva, exterior e consciente da identidade.

Esta casa mostra como analisamos nossas vidas e como nossos pensamentos em relação ao futuro, ou sobre as coisas ditas mais "elevadas" ou "espirituais". Pode referir-se ao carma (ou lei do retorno) e assuntos espirituais. É uma casa do "não-eu", o que significa que ele está associada com grandes burocracias, serviço civil, etc. que são as áreas onde afirmam servir ao invés de buscar um lucro, onde os trabalhadores e gestores são basicamente anônimos.

Também é associada aos assuntos ocultos, no lado bom sendo algo não exibido/executado por altruísmo ou modéstia, ou no lado mal como escondido, obscuro, velado. Também refere-se a assuntos ocultos que estão sendo descobertos, ou pesquisa científicas.

São as atividades nos bastidores, para o bem ou para o mal.

Qualquer pessoa que revê sua vida, é provável que pense em coisas que não fizeram, que gostariam de ter feito e nas coisas que fez, ou que desejaram e não possuíram. Algumas vezes isso pode resultar em alguma tristeza, como também culpa ou vergonha. Também pode resultar em orgulho e satisfação quando pensamos nas coisas boas que fizemos (ou nas tentações que resistimos).

Na terceira casa, aprendemos as coisas básicas. Na sexta vamos tornar esse conhecimento automático. E na nona, temos a chance de amplificar o pensamento, porque temos um conhecimento que também reside no sub-consciente. Na décima segunda casa, que pode acontecer é um "desconhecimento de si", ou seja, uma integração com o todo. Significa transcender a nós mesmos e não pensar apenas em nossas próprias necessidades e pontos de vista egoístas, mas enxergar sob o ponto de vista da humanidade, ou de toda a vida.

A décima segunda casa também está associada com a saúde mental, seja como uma profissão ou em como lidar com a doença, assim como a meditação (impessoal), reflexão, o auto-sacrifício (desapego) e a caridade (doação).

Indica as áreas onde temos inimigos secretos, que podem ser até certos aspectos de nós mesmos - como a auto sabotagem, que podem levar a nossa ruína.


Comente

A influência dos astros na Casa 12

Características

Tipo: Cadente
Palavra-chave: Doação
Tópico: Conclusões
ID: Saúde mental / sub-consciente

A Casa 12 e você

Descubra qual a importância da Casa 12 no seu mapa astral.

Crie a sua conta grátis ou efetue o login para saber se você possui algum planeta nesta casa quais são seus benefícios!