astrolink-galaxy

Veja seu Mapa Astral Grátis!

Já tem cadastro? 

Cartas Noturnas no Tarot: o que nos dizem?

Arquétipos mais densos que preconizam mudanças radicais

Por Thais Grootveld em Tarot

Publicado em: 14/06/2021 às 07:07

Modo claro

4 minutos de leitura

Responda rápido: quando aparece na sua tiragem a carta A Morte, O Diabo ou A Torre, qual é a primeira coisa que vem à sua mente?

É comum que as pessoas que se consultam no Tarot se sintam assustadas ao se depararem com estes Arcanos, conhecidos como Cartas Noturnas - que dentre os Arcanos Maiores, tratam de Arquétipos mais densos e preconizam mudanças radicais. Por elas chamarem para si tamanha responsabilidade, costumam ser estigmatizadas como algo ruim, para aqueles que não conhecem profundamente os mistérios do Tarot. Mas o que será que elas querem nos dizer?

De modo geral, as cartas trazem conselhos para trabalharmos da melhor maneira o propósito que estamos buscando. As Cartas Noturnas, no caso, trazem à tona situações que exigem uma postura mais corajosa e assertiva diante deste propósito, nos convidando a buscar transformações mais profundas e dando conselhos preciosos para a superação dos desafios que irão se apresentar ao longo do caminho.

Não há mal que sempre dure

O arcano popularmente conhecido como A Morte - que em muitos baralhos trata-se apenas do Arcano sem nome ou Arcano XIII - fala sobre a necessidade de transformação: simbolicamente, precisamos encerrar um ciclo ou alguma ideia a qual estamos apegados para abrir espaço para as novidades chegarem.

Esta transformação tende a inaugurar um novo caminho em nossa jornada, ainda que muitas vezes o encerramento do ciclo anterior cause sofrimento a quem está vivenciando a situação. Afinal, nem sempre é fácil abrir mão de algo que julgávamos ser bom ou construtivo. Por outro lado, essa transformação põe à prova nossa coragem e nos faz resilientes. Por isso, o Arcano da Morte é uma das lições mais belas que o Tarot pode nos proporcionar: tudo tem início e fim, e todo o fim é o recomeço de algo ainda mais poderoso.

O pai do engano

Uma das formas que O Diabo trabalha é através da ganância e do materialismo, então sua chegada sinaliza que é hora de rever as suas prioridades e buscar equilíbrio nas suas ações! É um chamado potentíssimo à responsabilidade que não pode ser ignorado.

No Tarot, ele vem para nos alertar que precisamos tomar cuidado com vícios ou quaisquer outros subterfúgios que estejam nos afastando do nosso objetivo principal. Devemos lembrar sempre que somos responsáveis por nossas escolhas, e neste momento, talvez estejamos dando poder demais a terceiros, às vezes até nos colocando numa posição de dependência material ou emocional.

Isso significa que em toda tiragem ele vai tratar sobre algum vício que deva ser cortado? Nem sempre! Numa tiragem sobre vida sexual, por exemplo, pode indicar uma disposição muito forte para novas descobertas. Aí o Diabo muda de figura, não? O Arquétipo em questão rege os prazeres da carne e, evidentemente, nem todos os prazeres carnais são ruins ou desmedidos. Este Arcano vem para nos lembrar, em todas as medidas, que somos absolutamente humanos.

O seguro morreu de velho

Já a carta da Torre - também chamada de A Casa de Deus, cuja representação se assemelha à Torre de Babel - avisa que aquilo que você acredita ser a base de sua segurança talvez não seja mais tão sólido assim. No momento em que ela aparece, talvez estejamos nos empenhando demais em manter as aparências, ao invés de aceitar que as coisas mudam. Neste momento, manter as ilusões te custarão muito caro e pouco devem adiantar.

É tempo de fortalecimento e resiliência, portanto A Torre deve te preparar para o novo momento que vai chegar, inspirando coragem e discernimento para compreender o que está ao nosso alcance e o que não está. O melhor a fazer, neste momento, é aceitar o desafio da reinvenção e confiar nas circunstâncias, porque logo depois da tempestade vem a calmaria - ou, na jornada dos Arcanos, depois da Torre sempre vem a Estrela.

Todos os caminhos levam a Roma

Aliás, é importante sempre lembrar que os Arcanos Maiores seguem uma jornada de experiência cumulativa, também chamada de Jornada do Louco. Ou seja, a Imperatriz carrega os aprendizados da Sacerdotisa, que carrega a experiência do Mago - e assim sucessivamente. Ela leva este nome pelo Louco (o Arcano sem número ou de número zero) ser o mais livre dos Arcanos Maiores, tendo liberdade para se desenvolver em qualquer direção e manifestar-se em qualquer posição do baralho.

Esta Jornada se torna muito mais compreensível ao analisarmos a nossa própria trajetória dentro da experiência dos Arcanos: quando passamos por uma mudança muito grande, logo vem a cautela, a compreensão, a ciência de que os limites mudaram, como no trânsito da Morte para A Temperança. Por outro lado, se nos apegamos obstinadamente às nossas crenças, fatalmente elas se revelarão insustentáveis - é o que acontece com o trânsito do Diabo para A Torre.

E aí, conseguimos desmistificar um pouco o universo das Cartas Noturnas? Se na hora da sua tiragem vier alguma delas, já sabe: o Tarot é um Oráculo secular que traz segredos e conselhos profundos sobre a alma humana, sempre com o objetivo de auxiliar aqueles que recorrem a ele. No fundo, a análise é sempre sobre autoconhecimento. Tenha disposição para encará-las, medite sobre seus significados e a lição virá cristalina até você.

Agora que você já conhece mais do propósito das cartas, que tal fazer uma tiragem?

Categorias

O céu no momento...

terça-feira, 23 de abril de 2024 | 00:43